Como funciona o mindfulness

O mindfulness ou atenção plena, seja por meio da meditação ou ioga, se tornou um assunto frequente em rodas de conversa. Existe muita discussão sobre os benefícios positivos da prática e também muitos guias que explicam como funciona o mindfulness.

E é por isso que criamos esse conteúdo, pra te falar como funciona a prática do mindfulness para você se aprofundar ainda mais.

Entenda como funciona o mindfulness de uma vez por todas

O mindfulness é uma prática meditativa de atenção plena, ou seja, você consegue estar consciente de tudo que acontece ao seu redor. Estando consciente de tudo, você consegue viver a vida de forma mais ativa.

Essa prática é a consciência que surge prestando atenção propositalmente, no momento presente, sem fazer julgamentos sobre os pensamentos.

Embora a atenção plena possa parecer um pouco misteriosa, não há nada de exótico nela.

Todos nós temos a capacidade de estar atentos. Você, por exemplo, já esteve na praia e ficou presente com o som das ondas e o calor do sol no rosto? Essas experiências são facetas da atenção plena.

Quando estamos atentos, estamos cientes de nossa experiência momento a momento, incluindo nossos pensamentos, sentimentos e sensações físicas, com uma atitude de abertura e curiosidade.

Estar atento nos permite vivenciar nossas vidas de forma mais completa e ser mais ativos do que passivos ao que está acontecendo dentro de nós, bem como às circunstâncias externas de nossas vidas.

Mas, embora todos tenhamos a capacidade de estar atentos, na verdade precisamos cultivar e praticar. Isso porque, na maioria das vezes, operamos sem pensar e no piloto automático.

Pesquisadores da Universidade de Harvard, por exemplo, descobriram que nossas mentes vagam continuamente e que metade de nossos momentos de vigília é gasta pensando em algo diferente do que estamos fazendo.

Viver sem pensar e estar no piloto automático pode ser um pouco sem graça e também estressante. Quando não estamos presentes, muitas vezes perdemos os pequenos momentos bons da vida, como um sorriso do caixa do supermercado ou o primeiro gole de nosso delicioso café da manhã.

Estar atento nos dá a oportunidade não apenas de viver mais plenamente, mas também de ver nossos hábitos mentais e emocionais com mais clareza, e de escolher se queremos ou não nos engajar neles.

Uma das maneiras de se tornar mais consciente é por meio da prática da meditação. Quando praticamos meditação, aprendemos a prestar atenção a um objeto em nossa experiência do momento presente, como a respiração, por exemplo.

No início de uma prática meditativa, quando nossa mente divaga com a respiração, somos instruídos a trazê-la de volta às sensações da respiração. Fazer isso é um pouco como um empurrão para o cérebro. Essa prática aumenta nossa atenção e capacidade de estarmos mais presentes e conscientes no nosso cotidiano.

Podemos também trazer atenção e consciência do momento presente para nossas atividades diárias para promover uma maior atenção plena. Podemos, por exemplo, lavar a louça com atenção, andar com atenção e até enviar um texto com atenção total.

Para compreender a atenção plena de forma mais completa, também ajuda saber um pouco mais sobre o que ela não é. Aqui estão três mitos comuns sobre o mindfulness que vão te ajudar a entender melhor o que é e o que não é.

1 Mindfulness não é limpar sua mente de pensamentos

A boca enche de água, os olhos piscam e a mente pensa. Assim como não podemos parar de piscar, não podemos parar de pensar. A mente planeja, julga, devaneia e se preocupa. Mindfulness não significa se livrar de tudo isso. É perceber seus pensamentos e, com o tempo, aprender a ficar menos preso a eles.

2 Mindfulness não significa estar calmo

Assim como o condicionamento físico é um subproduto de ir à academia, a calma geralmente surge como resultado da prática da meditação e da atenção plena, mas não é um pré-requisito. Você pode ficar com raiva, frustrado ou envergonhado e estar ciente e presente com sua raiva, frustração e constrangimento.

Mesmo depois de praticar a atenção plena por anos, você ainda vai experimentar toda a gama de emoções difíceis. Mas você provavelmente não vai ficar tão sobrecarregado por eles.

3 Mindfulness não significa meditar por horas

Embora seja verdade que você precise praticar mindfulness, você não precisa meditar por horas por dia ou fazer um retiro silencioso para colher os benefícios da prática. Muitas pessoas relatam que vários minutos por dia de meditação as beneficiam. Mas, como acontece com qualquer outra prática, seja tocar piano ou pintura, quanto mais você faz e quanto mais vezes você faz, mais você ganha com isso.

Uma vez que você esteja consciente de si mesmo e do seu corpo, você vai estar mais presente e atento.